Por onde anda a artilheira Luana Spindler



A atacante Luana Spindler começa a fazer sua história no Internacional. Foto: site oficial do Internacional

 

A entrevistada especial da semana do site oficial é a atacante Luana Spindler, que hoje veste a camisa do Internacional (RS), mas já fez história pelas Feras da Amazônia, ela foi artilheira com 12 gols da Série A2 do Campeonato Brasileiro de futebol feminino de 2018. Entrou para o rol de goleadores e tem seu rosto estampado pelas estruturas do Centro de Excelência e pela Confraria Social do 3B.

Gaúcha de Cachoerinha e moradora do Gigante do Beira-Rio em Porto Alegre (RS), na elite do futebol brasileiro feminino, ela agradece ao clube manauara, por abrir portas e novos desafios. Ela também já passou por Hangzhou Greentown (China), UDG Tenerife (Espanha), Incheon Hyundai (Coréia do Sul) e Atlético-MG.

Vivência

Como foi ser artilharia pelo 3B? Foi importante para seu crescimento na carreira como atleta?

Spindler= Com certeza foi muito gratificante, me senti muito feliz. O 3B é um time que incentiva muito as atletas e com certeza isso faz diferença no crescimento dentro de campo. Foi muito importante passar pelo 3B, um time que acolhe as atletas como uma família, sem contar a força que tem a torcida de Manaus.

Luana Spindler cedendo entrevista após marcar dois gols diante o Gurupi-TO. Foto: Denir Simplício/3B da Amazônia

 

 

Marcante

Sobre o jogo a ser lembrado, a atacante faz questão de enfatizar o duelo empatado em 1 a 1 diante o Minas, na Arena da Amazônia, resultado que inviabilizou o acesso do time baré no ano de 2018.

Qual jogo inesquecível pelo 3B da Amazônia?

Spindler= O último jogo da Série A2 do Campeonato Brasileiro 2018, que nós tínhamos um time apto para chegar na final, mas infelizmente não conseguímos, mas serviu como aprendizado para minha carreira.

Mensagem

Como forte ponto positivo, Spindler além de guerreira, sempre foi uma atleta exemplar tratando-se de coletividade e incentivo.

Quais as palavras de sorte que você deseja as meninas que buscam acesso em 2019?

Spindler= Acredito que sorte seja importante, mas o empenho e a dedicação tem que estar caminhando junto. Os treinos diários é que fazem a diferença dentro de campo, para que a atleta sinta-se pronta para as competições.

Qual recado que você deixa para as meninas amazonenses que sonham em viver do futebol profissional, vestir a camisa de um gigante como Internacional e fazer história no 3B?

Spindler= Que elas sigam em frente de cabeça erguida, obstáculos sempre vão aparecer, o importante é sempre seguir sem desistir.

Por João Paulo Oliveira/3B da Amazônia

Últimas Notícias

Vídeos

PATROCINADORES

 

© 3B da Amazônia. Todos os Direitos Reservados!

Please publish modules in offcanvas position.